Celular modular do Google será feito em impressão 3D

A empresa 3D Systems está desenvolvendo uma impressora de alta velocidade especial para dispositivos móveis

O projeto Ara do Google, que deve construir o smartphone modular, será fabricado a partir de impressão 3D. Segundo o diretor de operações da 3D Systems, Michele Marchesan, a empresa está desenvolvendo impressoras 3D especiais para construir as partes do smartphone.

Segundo o executivo, a impressora deve estar pronta no ano que vem, quando também é esperado o lançamento do primeiro celular modular do projeto.

A parceria entre Google, Motorola e 3D Systems tem o objetivo de fabricar um smartphone que possa durar mais, e que os diferentes módulos possam ser trocados quando necessários ou quando o usuário quiser um recurso mais avançado.

“Estamos desenvolvendo uma impressora de alta velocidade para dispositivos móveis”, afirmou Marchesan em apresentação no evento para impressão em três dimensões “Inside 3D Printing”, que acontece em São Paulo nesta quarta-feira.

O executivo não descarta parcerias com outras fabricantes de celular no futuro. A 3D Systems já tem outros parceiros na área, como a Samsung, e embora não existam parcerias concretas para um projeto similar ao Ara, a impressora desenvolvida poderia ser uma opção interessante aos concorrentes do Google.

“Muitas corporações estão interessadas em impressão 3D”, complementa Marchesan.

FONTE: http://tecnologia.terra.com.br

USUÁRIOS DE SMARTPHONES, ATENÇÃO

A Microsoft liberou o download gratuito do “Office Mobile”! Esse pacote vem com Word, Excel e PowerPoint. Para mais informações sobre esses apps, acesse os links:

Android:
https://play.google.com/store/apps/details?id=com.microsoft.office.officehub

iPhone:
https://itunes.apple.com/hk/app/microsoft-office-mobile/id541164041?l=zh&mt=8

"triste notícia para os fãs de tecnologia"

"triste notícia para os fãs de tecnologia"

mulheres na internet sendo… mulheres

mulheres na internet sendo… mulheres

Depois do WhatsApp, Facebook compra a Oculus VR por US$ 2 bi

Novidade foi anunciada por Mark Zuckerberg em postagem na própria rede social:

"Estou empolgado em anunciar que chegamos em um acordo para adquirir a Oculus VR, líder em tecnologia de realidade virtual.

Nossa missão é tornar o mundo mais aberto e conectado. Nos últimos anos, isso significava principalmente criar aplicativos móveis que ajudam você a compartilhar com as pessoas que você se importa. Nós temos muito mais a fazer no mobile, mas nesse ponto nós sentimos que estamos em uma posição de onde podemos começar a focar em quais plataformas se tornarão as próximas a permitir experiências pessoais e de entretenimento mais úteis.”

FONTE: http://www.tecmundo.com.br/facebook/52799-depois-do-whatsapp-facebook-compra-a-oculus-vr-por-us-2-bi.htm

o assédio infantil deve parar!

o assédio infantil deve parar!

IBM vai usar supercomputador em tratamento de pacientes com câncer

Watson estará em projeto que criará tratamento baseado na carga genética.

Máquina rastreará quais os métodos mais eficazes para cada paciente.

A IBM anunciou uma parceria para que seu supercomputador Watson seja usado em um projeto de medicina genética para ajudar no tratamento personalizado de pacientes com câncer.

O programa do Centro de Genoma de Nova York (NYGC) vai permitir que médicos adaptem o tratamento para o perfil genético de cada paciente. A primeira fase do projeto vai focar pacientes com glioblastoma, um tumor no cérebro que mata 13 mil pessoas por ano nos EUA.

Para aproveitar o potencila de processamento do supercomputador, o Watson buscará estudos e dados clínicos nas revista de medicina para vinculá-los às mutações genéticas dos pacientes. “Os médicos tem muito pouco tempo, e não têm as ferramentas necessárias para oferecer tratamentos aos seus pacientes com base em seu DNA”, informaram NYGC e IBM em um comunicado conjunto.

"Essa iniciativa conjunta pretender acelerar esse processo complexo, mediante a identificação de padrões na sequência genética e em dados médicos, para criar oportunidades que ajudem os médicos a levar a promessa da medicina genética a seus pacientes."

O presidente e diretor científico do NYGC, Robert Darnell, afirmou que, desde o sequenciamento do genoma humano, há mais de 10 anos, “o verdadeiro desafio que temos pela frente é como dar sentido à quantidade massiva de dados e transformar essas informações em melhores tratamentos para os pacientes”.

A IBM já tinha se associado em setembro de 2011 à companhia de seguros WellPoint para implementar a primeira aplicação comercial das capacidades de cálculo do Watson, desenvolvido para ajudar médicos a fazer diagnósticos e tratar seus pacientes.

O supercomputador ganhou fama em fevereiro de 2010 depois de vencer dois campeões humanos no jogo de perguntas e respostas “Jeopardy!”, tradicional programa da televisão americana.

Watson, batizado em homenagem ao fundadador da IBM, Thomas Watson, utiliza uma série de algoritmos para determinar de maneira extremamente rápida qual a resposta tem mais possibilidades de estar correta.

FONTE: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2014/03/ibm-vai-usar-supercomputador-em-tratamento-de-pacientes-com-cancer.html

"Não preciso do Google, minha esposa sabe tudo"

"Não preciso do Google, minha esposa sabe tudo"

alzheimer… ou simplesmente decadência?

alzheimer… ou simplesmente decadência?

saudade eterna do campo gramado ao fundo e céu azul, mesmo nos dias mais sombrios…

saudade eterna do campo gramado ao fundo e céu azul, mesmo nos dias mais sombrios…

parece que foi ontem…

parece que foi ontem…

formatar, o caminho mais fácil da TI

formatar, o caminho mais fácil da TI

a realidade de muitos é triste

a realidade de muitos é triste

Google quer que Project Ara, seu smartphone modular, custe a partir de US$ 50

O Google anunciou no ano passado o Project Ara, cujo objetivo é criar smartphones modulares – você pode montá-lo e atualizá-lo. Ainda há muitos desafios para se criar um aparelho assim, mas a gigante das buscas parece levar o projeto bem a sério: a empresa pretende vender uma versão simples do celular por US$ 50.

A Time explica que o plano atual do Google é criar um “grayphone”: um exoesqueleto básico e personalizável, que inicialmente viria apenas com uma tela, carcaça e um chip Wi-Fi. Ele custaria só US$ 50 e seria “projetado para ser vendido em lojas de conveniência”. A partir daí , os usuários poderiam personalizar o dispositivo, acrescentando módulos de câmera, processador etc.

Mas como comprar esses módulos? Paul Eremenko, do Google, imagina que um app embutido no aparelho permitirá ao usuário ajustar certos elementos de design, e os usuários iriam a quiosques especiais para atualizar os componentes físicos. Os quiosques seriam projetados para caber em contêineres, que seriam enviados para todo o mundo, e levariam peças e ferramentas para o usuário personalizar seus dispositivos.

Tudo isso parece muito ambicioso, e é mesmo. Eremenko diz que vai demorar até o Google chegar a um dispositivo que custe US$ 50, e ainda não está claro se há uma grande demanda por celulares como este.

Quais os benefícios de um smartphone modular? Para você, isso permite criar aparelhos mais versáteis, no qual você decide do que você precisa ou não, quanto tempo dura a bateria, e assim vai. Para as fabricantes, isto permite que elas se concentrem no que fazem de melhor – como um módulo GPS ou uma câmera – em vez de sofrerem com o fardo de criar um smartphone inteiro.

Um projeto como esse exige uma boa dose de ceticismo. A modularidade reduz a integração entre os componentes: isso deixaria o celular mais volumoso e até mais lento. Tentativas anteriores de um celular modular falharam, como o Handspring Visor, feito pelos mesmos criadores do PalmPilot há quinze anos; e o Modu, cuja empresa fechou em 2011 (e vendeu as patentes… para o Google).

Além disso, é difícil não traçar um paralelo entre isto e a “estratégia” da Amazon de enviar produtos usando drones: uma ideia boa demais para se tornar realidade, pelo menos num futuro próximo, mas que rende à empresa uma aura de inovação e futurismo agora mesmo.

Mesmo assim, há motivos para permanecer otimista. O projeto está nas mãos do grupo ATAP (Advanced Technology and Projects), comandado por Regina Dugan, ex-diretora da DARPA – órgão responsável por projetos incríveis, mas reais. Ele também conta com a participação do designer Dave Hakkens, que propôs o conhecido conceito dos PhoneBloks.

Além disso, o Google fará em abril uma conferência apenas sobre o Project Ara, mostrando que o está levando a sério. E outras fabricantes estão experimentando o conceito de celulares modulares, como a ZTE.

O projeto antes estava nas mãos da Motorola; quando ela foi vendida para a Lenovo, o grupo ATAP se desvinculou da fabricante, migrando para um escritório alugado a poucos quilômetros do campus do Google. E segundo a Time, o Google lançará seu primeiro smartphone modular em cerca de um ano, não necessariamente por US$ 50. É esperar para ver.

FONTE: http://gizmodo.uol.com.br/google-project-ara-us-50/

Conheça a Outernet: A nova internet gratuita via satélite que poderá chegar em 2015

O projeto Outernet promete utilizar a mesma tecnologia de transmissão de dados que já é feita através das bandas largas dos sinais de rádio. Isso possibilitaria, inclusive, levar a democratização da web até os países que atualmente censuram o acesso à rede, como Coreia do Norte, China e Cuba.

Segundo a equipe responsável pelo projeto, apenas 60% da população mundial conta com acesso à internet e suas infinitas possibilidades. Seja por fatores políticos ou econômicos, o certo é que muitos países não investem na infraestrutura necessária para possibilitar o acesso universal à rede.

O revolucionário plano da Outernet prevê o lançamento de milhares de satélites em miniatura de baixo custo, conhecidos como CubeSats, na órbita mais baixa de nosso planeta. Cada um deles serviria como interface de transmissão de dados com uma rede de estações terrestres. Utilizando o protocolo conhecido como UDP (protocolo de datagramas de usuários em inglês), esses satélites compartilhariam informações entre os usuários da rede no mundo inteiro.

O projeto será financiado através de doação privada, sistema bastante comum nos Estados Unidos. O objetivo é realizar os primeiros testes na Estação Espacial Internacional, e para isso a entidade já deu entrada no pedido de autorização junto à NASA. Se tudo der certo, o lançamento dos satélites poderá ocorrer em junho de 2015.

FONTE: http://noticias.seuhistory.com/conheca-outernet-nova-internet-gratuita-satelite-que-podera-chegar-em-2015

 


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player